vovo CFB-CONFEDERAÇÃO DE FELINOS DO BRASIL- PADRÃO DA RAÇA
  • banner5.jpg

Brazilian Shorthair

CFB - Confederação de Felinos do Brasil


Fundada em 02/03/2002, a CFB - Confederação de Felinos do Brasil é uma organização com grande representatividade na Gatofilia brasileira e é 100% nacional, formada em sua maioria por clubes, criadores e amantes felinos filiados de todo o país. Seguimos normas e determinações de nossa entidade mãe, a WCF - World Cat Federation, federação de grande prestígio mundial presente atualmente nos 5 continentes. Contudo, nossas diretrizes visam promover, valorizar e tornar mais prestigiada, não apenas nossos clubes coligados e nossos gatos internacionalmente, mas visam também a união e o fortalecimento de nossa Gatofilia brasileira, promovendo shows e eventos e gerando resultados que entram em conformidade com nosso estatuto, seguindo normas e critérios organizacionais WCF.

Nossa missão também visa tornar mais conhecida a raça Pêlo Curto Brasileiro(MR), gatos genuinamente Brasileiros, em território nacional. Também chamada de Brazilian Shorthair, essa raça natural do Brasil é a primeira e única brasileira que temos atual, reconhecida internacionalmente pela WCF - World Cat Federation.

Desde 1998 como membro da federação internacional, essa espécie é extremamente valorizada no exterior e orgulho nacional por considerarem suas características únicas e incomparáveis a outros felinos, tendo como seu idealizador, o Sr. Paulo Samuel Ruschi, nosso Presidente de Honra e I Vice-Presidente da WCF no Exterior.

 

O PADRÃO APROVADO PELA WCF EM 16 DE AGOSTO DE 1998

TIPO: Aparência geral de um gato saudável, levemente esbelto, rápido e elegante.

CORPO: Firme, tamanho médio, não compacto, e ligeiramente esbelto.

PERNAS: Pernas firmes, não demasiadamente musculosas, comprimento médio, pés de tamanho médio e arredondados.

RABO: Comprimento médio a longo, não grosso na base, afinando para o final.

CABEÇA: Tamanho pequeno a médio, sendo mais comprida do que larga, levemente em forma de cunha.

ORELHAS: Orelhas grandes, com tufos de pêlos dentro delas, colocadas quase retas para cima. Sua altura é maior do que o comprimento da base.

OLHOS: Forma arredondada. Todas as cores são aceitas. A distância entre os dois olhos é de um ôlho e meio um do outro.

NARIZ: Tamanho médio a grande com uma leve curvatura na base.

PESCOÇO: Comprimento médio a grande, não musculoso. Apenas firme.

QUEIXO: Forte queixo.

BOCHECHAS: Levemente desenvolvidas.

PELAGEM: Curta, sedosa, bem fechada, deitada junto ao corpo. Sem subpêlo.

FALTAS: Rabo anormal ou com nó, acentuado stop (quebra/depressão) na base do nariz, sub-pêlo, corpo compacto.

CORES: Todas as cores são aceitas. Preferência será dada às já conhecidas. Exceção: as ponteadas como os siameses.

TEMPERAMENTO: Ativo, dócil e amigo. 

DESQUALIFICAÇÃO: De acordo com as regras gerais para show e criação.

Egyptian Mau

Os murais do Antigo Egipcio apresentam gatos com pintas idênticos ao Mau Egípcio. A maioria dos gatos tem como antecessor o Gato Selvagem Africano (Felis silvestris lybica), mas o Mau Egípcio é o que mais se assemelha ao seu parente selvagem.

O Mau Egípcio pode ser encontrado ainda hoje no local onde se desenvolveu, as ruas de Cairo. “Mau” significa “Gato” em egípcio e não tem alguma relação com o personalidade do felino.

No antigo Egipto o gato era venerado e segundo a crença popular, o Mau Egípcio descende do gato simbolizado pelos Deuses Rá e Bast do antigo Egipto. Uma teoria que provém da marca distinta que o animal tem na testa e que lembra o escaravelho sagrado, símbolo que se vê com frequência na testa dos gatos representados nos murais egípcios.

O ressurgimento da raça remonta aos anos cinquenta, quando a princesa russa Nathalie Troubetskoy exilada em Itália se apaixonou pela pelagem única do Mau. Importou do Egipto uma fêmea que cruzou com um gato italiano. A raça só foi dada a conhecer na Europa quando as crias participaram pela primeira vez uma exposição de gatos em Roma. Poucos anos depois, Troubetskoy emigrou para os Estados Unidos onde o apuramento da raça atingiu o seu expoente máximo. No entanto, só quinze anos mais tarde é que esta raça foi reconhecida oficialmente, excepto na Grã-Bretanha onde ainda não adquiriu esse estatuto. Actualmente tem havido um esforço de reprodução de um gato com aparência semelhante na Europa, dado ser uma raça bastante escassa. Esta linhagem baseou-se originalmente em Tabbies resultantes do apuramento de Siameses Point Tabby. Para prevenir qualquer confusão, este grupo de gatos já não é denominado Mau Egípcio, mas sim Oriental Malhado de Pêlo Curto.

TEMPERAMENTO: O Mau Egípcio é um gato que muito apegado à família. É famoso por receber os donos à porta com abanares de cauda e vocalizações de contentamento. Necessitam por isso de donos com mais tempo disponível para o gato. São moderadamente activos.

Não gostam de estranhos, e recebem com dificuldade outros animais em casa. São bastante territoriais. 

APARÊNCIA GERAL: O Mau Egípcio é um gato de porte médio com uma aparência colorida e músculos desenvolvidos.

A cabeça é arredondada com orelhas médias ou largas, sempre alerta e moderadamente pontiagudas. Os olhos são grandes, amendoados, mas sem serem redondos ou orientais. Os olhos são verdes claros. A tonalidade âmbar só é aceite em jovens adultos até um ano e meio de idade.

O corpo é de comrpimento médio, com músculos desenvolvidos mas mantendo a sua graciosidade natural. A cauda é média e afunilando ligeiramente na ponta. 

TIPO DE PÊLO:O Mau Egípcio possui uma atraente pelagem com pintas por todo o corpo. Também a pele é pintalgada. A pelagem é curta com um brilho lustroso. Na variante smoke, os fios são sedosos e finos, enquanto que na variante prateado e bronze a pelagem é densa.


VARIANTES

Silver: Este gato apresenta características físicas semelhantes com o pêlo-curto Americano e os gatos orientais. Possui cabeça cuneiforme e arredondada; o focinho não deve ser pontiagudo; a testa e o nariz fazem um ângulo. 

Bronze: A pelagem de base é formada por pêlos com duas bandas cromáticas, sendo a ponta preta. As malhas devem ser redondas e estar homogeneamente distribuídas pelo corpo .

Fumado preto (Smoke):Os pêlos têm raízes esbranquiçadas e pontas pretas, provocando um contraste quando se movimenta. Os olhos são grandes, ovais e oblíquos. A distinta coloração verde dos olhos desenvolve-se relativamente devagar e, numa fase mais adiantada da vida, tende a ficar mais tarde.

CURIOSIDADES: O Mau Egípcio é tido como o gato doméstico mais rápido, capaz de correr a 48 km por hora.

Siberian cat

Siberian Cat - Neva Masquerade

Body:  The medium to large sized cat is muscular and heavy. The legs are also muscular and of medium length. The paws are large, compact and round with toe tufts.The tail reaches to the shoulder blades, it is slightly tapering and bushy.

The neck is short and solid.

Head: The head is short and broad with deep set, broad cheek bones, rounded muzzle and slightly rounded chin. The forehead is slightly arched. The nose is equally broad from the base to the nose leather. The contours are gently rounded, the profile slightly curved.

Ears: The ears are of medium size, broad at the base with a slightly rounded tip. They are set wide apart and slightly tilted forwards.

Eyes: The eyes are large, slightly oval and rounded at the lower edge, set at a slight slant and wide apart.

Eye colour shall be even and corresponds with the coat colour. All shades from yellow/golden to green are permitted. In bicolour and other patterns with white also blue or odd eyes. In pointed patterns blue, the darker the better.

Coat: The coat is of medium length. The very dense undercoat is soft and fine, under a coarser, firm top coat. The dense, loosely falling top coat is water repellent, has a firm structure, firm to touch and glossy. It covers the back, the flanks and top of the tail completely. The under parts of the body and the back of the hind legs have only undercoat. The coat is particularly long on the neck, the chest, the trousers and the tail.

Colour varieties: The colours chocolate and cinnamon, as well as their dilution (lilac and fawn) are not recognized in any combinations (bicolour, tricolour, tabby) for the Siberian and the Neva Masquerade. The Burmese-factor is also not recognized. All other colours and patterns are recognized. Any amount of white is permitted. The description of colours is listed in the general list of colours.

The pointed variety with Siamese points is called Neva Masquerade.

Remark: The general assembly of the WCF decided at its meeting in Milan on August 03, 2002 that cross-breeding with other breeds in all natural breeds, such as Maine Coon, Norwegian Forest, Turkish cats and Siberian, needs the permission of the judges' commission.               

Scale of points

Body                              35 points

Head                              30 points

Coat texture                    25 points

Coat colour and pattern      5 points

Condition                          5 points